quinta-feira, 29 de julho de 2010

Cervejas + Regras para Cumbucas = Fail





Gente, sabem as Regras para Cumbucas?
Para vocês que não leram, leiam num post passado.

Então, ontem e hoje eu fiz TUDO QUE NÃO DEVERIA FAZER.
Quis me testar, quis ver se isso de cumbuca é sério mesmo... E é.

Sabe cerveja? É uma maldita.
Não a culpo totalmente porque eu realmente quis testar até onde a lei das cumbucas me perseguem. E concluí que é pra sempre.

O que fiz? Desenterrei TUDO de mim expus para quem menos deveria expor. Mas só se faz isso quando se está desacreditada... Você está "cagando" pro que vão pensar depois daquela mensagem, daquela ligação, daquele papo no msn... Enfim. Chutei o pau da barraca.

Querem saber?

Sei nem por onde começo.

Como sabem, estou viajando, né?
Trabalhando o dia todo e à noite eu saio, vejo umas pessoas, tomo umas cervejas e faço merda. Ou merdas das quais não me arrependo. É a fase, creio.

Vamos lá.
Um dia antes de viajar, mando mensagem pro "coisa" atual (tinha bebido) com algo meio fofinho... Resposta? Não, nenhuma. Ok. Ele não é de responder... Tranquilo.

Viajo, trabalho o dia todo como uma burrinha de carga e saio à noite pra tomar geladinhas. No caminho, ligo pro infeliz e ele não atende. ¬¬
Ok.

Volto pra pousada depois de tomar várias sozinha e de ter ligado pra minha agenda inteira. Chego e deixo uma mensagem off no msn pro EX COISA. Nada. Vou dormir, mas como não me canso de fazer merdas, mando uma mensagem pro mesmo e ainda digo: se não tiver resposta é porque é mais UM NÃO que recebo e pararei de beber e de PEDIR.

Tive resposta? Of course not. Simbora dormir que amanhã é outro dia.

Acordo numa sexta-feira bela, trabalho o dia todo, produtividade à mil... Nem coisa, nem ex coisa, sem pensar em ninguém.

Porém, final do dia, cervejinhas e chego na pousada. Quem tá no msn? O cara que me fez perceber que eu era uma CUMBUCA dos 10 aos 15 anos de idade. Não posso contar tudo que aconteceu (ou o que não aconteceu), mas posso adiantar que o infeliz [2] era amigo dos meus irmãos, me ligava quase todos os dias, me prendia na parede e dizia: "você me ama, que eu sei" e ía para minha casa ouvir música quando estava sozinha. Entre outras situações.

Daí, o que fiz? Segui o embalo e perguntei o que sempre quis perguntar: ei, sendo bem direta o objetiva, rolava algum clima entre a gente quando eu era uma cumbuca mirim ou foi impressão minha?
Resposta: viagem da sua cabeça.
Ainda falei umas coisas porque sou dessas que precisa falar tudo que pensa e sente. E como ele não é mais nada pra mim, não vi porque não falar. Só não falei que ele foi e é um ridículo, porque não vi necessidade, mas ele é.

(fuichamadadelouca.com)

Ok, em dois dias, três idiotas.
Mas sabem o mais interessante? Realmente não estou mal ou incomodada.
Ex coisa é meio louco (se você ler isso, me perdoe, mas você é inconstante e isso cansa minha pouca beleza. Cansa a de qualquer ser... Enfim. Pra LÁ com essas estranhezas).

"Coisa" (que será ex logo, logo), você não lê meu blog, então, se eu tivesse que falar algo, não apresente SEU PAI e todos os amigos à uma pessoa que você ignorará a ligação NO DIA SEGUINTE.

Primeiro amor, seu louco, você me prendia na parede, ligava pra uma pirralha pra conversar, você queria me pegar mas tinha medo de ser condenado por todo o mundo por assediar uma criança.

É isso que queria dizer pra vocês, homens problemáticos (pra não dizer outra coisa) da minha vida.
Pensei em alterar este post, mas viva a liberdade de expressão. Já estou queimada mesmo. ¬¬

E, cumbucas, saudade de conversar com vocês. Semana que vem estou na ativa novamente.

Ah, hoje tô que nem ZINA, que era do Pânico, a fim de mandar um salve pra todo mundo.

Um salve pra galera do twitter, um salve pras cumbucas do grupo do msn, um salve pro meu ex amigo-recheio, que virá me visitar neste sábado, um salve pro meu amigo confidente, que ouve todas as minhas lorotas amorosas, um salve pra tampa de cumbuca preta, amiga linda, e outros amigos que liguei a noite toda em busca de "companhia"
Enfim.

Perdoem meu saudosismo hoje, mas estou sozinha, longe de tudo e todos.

Beijos e até amanhã.

Cumbuca Mor.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

O negócio é a PEGADA





Hello, gente querida!

Desculpem mais uma vez a ausência por um dia, mas estou viajando à trabalho
e fico o dia todo na rua. Agora tive uma pequena pausa e vim ter com vocês!

Engraçado, quando estava saindo, mamadí disse: "Não fale com estranhos, filha".
Me senti uma cumbuquinha de fraldas! Hehehe!

Comentei isso, que não tem patavinas a ver com nossos temas aqui, porque já me sinto íntima de vocês e conto essas coisas sem importância.

Vamos ao post de hoje?

No texto passado comentei que um OGRO (fofo) tinha seus atos induzidos carinhosamente pela sua amada noiva, né?

Então, acho que um dos detalhes que fazem a gente ser cumbuca, é a contradição que existe em nossas escolhas. Acompanhem comigo.

Nós, cumbucas, GERALMENTE somos independentes, falantes, vários amigos, não levamos desaforo pra casa e MANDONAS.
Porém, o que nós gostamos mesmo, é DA PEGADA!
Essa pegada vai além da PEGADA física, que todos sabemos do que se trata.

Falo daquele cara que diz: MULÉ MINHA NÃO SAI ASSIM!
A gente briga e sai como quer, mas no fundo, ouvir um machismozinho DE LEVE, nos soa bem.

O que é contraditório, porque gostamos de ser bem tratadas, de não receber ordens, de não sermos contrariadas... Acho que somos até chatinhas, se repararmos bem. CLARO que estou falando por mim e por algumas milhares de cumbucas que conheço, mas nem todas são assim.

Mas geralmente as panelas namoram com carinhas de feições femininas, gentis, perfeitamente penteados e cheirosos, unhas feitas, enfim.

Já nós... (cheiroso pode), aquele com carinha de MAU, com feições que assustam outros que passam (a gente se sente protegida) e com CARA DE PEGADA, são nossos escolhidos.

Será que os canalhinhas tem relação direta com esses carinhas OGROS?
...
Não sei.

Mas vale ressaltar que não DISPENSAMOS os menos Shreks, apenas somos atraídas por esses seres menos evoluídos, com traços primitivos mais latentes!
Hahaha!

Desculpem-me as cumbucas que não são como essa parcela que conheço, mas a contradição faz parte de mim.

Lindos, não poderei me prolongar muito hoje, pois o dever me chama.

Gostaria que as 1529 cumbucas que me acompanham neste blog estivessem aqui para tomar uma cervejinha gelada comigo.

Um dia, na Cumbuca's Party, quem sabe!


Beijos e até amanhã!

Cumbuca Mor

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Quem manda, na verdade?




Olá, belos e belas da Cumbuquinha Mor.

Estava conversando com um leitor hoje sobre essa coisa toda de ser cumbuca e ele disse que nós, mulheres inteligentes, temos o PODER nas mãos, mas temos que saber usá-lo a nosso favor.

Ainda não sei se concordo muito, mas vim compartilhar com vocês para CLAREAR as ideias e saber se é válido seguir os conselhos do amigo Leandro (@lemandaster é o twitter dele).

Como é sabido por nós, cumbucas e não cumbucas, alguns homens tem MEDO de mulher inteligente, independente, que tem voz ativa. E parece que nós escolhemos exatamente esses, já que CORREM da gente como o "djabo da cruz". Esse pega-pega irrita, já que você corre, pega. Ele pega e corre. E fica nesse joguinho até que uma das partes CANSE de brincar e deixa o outro a chupar seus lindos dedos.

Eis que nesse papo, com o glorioso Leandro, ele disse que nós devemos usar DOM em benefício próprio.
Como?
De uma maneira bem simples: Deixando os homens pensarem que MANDAM.
¬¬

Bem, é até algo inteligente e foi dito por um homem que se diz um OGRO (esse tipo de homem merece um post só pra ele. Farei um em relação ao que nós, cumbucas, gostamos e fingimos que não gostamos).
Ele, que se diz um cara MACHÃO, acaba fazendo tudo que a noiva carinhosamente "manda".

Ele: amor, vou comprar sapato.
Ela: pra que, xuxu? Você já tem tantos, és uma centopéia?

Ele não compra, mesmo ela indo ao shopping fazer uma pequena feira de saltos lindos, de vez em quando.

Esse é só um exemplo dos que ele me deu.

A conversa prosseguiu e ele disse que quem vê de fora, acha que ele comanda tudo, que a última palavra é dele.
Como vocês viram, NÃO É.

Eu não sou muito adepta da ideia de alguém ter que mandar no relacionamento nem nas atitudes alheias. Acho que cada um faz o que quer, ouve o conselho do mozinho e segue SE QUISER. E isso serve pra tudo. Nada melhor do que a LIBERDADE, né? Mas vejo que cada vez mais essa bichinha aí é pura utopia.
*Infelizmente não posso contar alguns ocorridos no final de semana pra demonstrar como o tal do homem é inseguro e sempre quer cortar as asinhas cumbucanas.

Voltando. O Leandro resumiu de forma muito clara a mudança no comportamento dos sexos e como isso afetou a vida a dois: "Os homens nasceram para mandar, e as mulheres, para fingir que obedecem. Só que as mulheres pararam de fingir e nós, homens, não sabemos lidar com isso".

Logo, sejamos atrizes eternas, segundo o conselho do camarada.
Bem, em certo ponto, eu concordo com ele, já que não se trata de FAZER JOGUINHO, que sou claramente contra isso, cês sabem. Mas sabe como consegui visualizar a cena comparativa?

Uma criança chata diz: MÃÃÃE! MÃÃÃEEE! QUERO PRESENTE!
A mãe, diz: Tá, filho. Depois...
Criança chata: QUERO AGOOOORA, MÃÃE!
A mãe: Tá, tá bomm filho lindo. Tome aqui um presentinho que a mamãe tava guardando para dar no Natal, mas já que você quer tanto, tome. (A mãe dá qualquer coisa que tem na mão... uma chave, sei lá. O filho vê aquilo, não é lá um presente, mas já que ela disse que era O PRESENTE NATALINO, ele aceita, brinca e nem percebe que foi enrolado).

Tá, poderia ter usado várias situações, mas vocês devem ter entendido que é como se a gente tivesse que fazer ouvido de mercador para o COISA da gente, sendo superior aos XILIQUES masculinos.

Ele acha que manda, e a gente vive em paz, sem brigar tanto e, evitando assim, que o machinho se vá.

Leandro avisou: PRESTE ATENÇÃO NO MEU CONSELHO. Está cada vez mais difícil de se ter um homem.

Eu pensei: Jura? Se você não me avisa, saio dispensando todos que estão me aparecendo! Hahahaha! Dica: aproveite todos! ¬¬ E não precisa ser ao mesmo tempo, claro.

Mas que é uma verdade que homem está escasso no mercado, É.

Fiquei um pouco confusa e não sei o que acho disso.
Garanto que é difícil, PRA MIM, fazer ouvido de mercador.
Tenho um danado de pavil curto que estoura fácil, às vezes, mas acho que vale tentar...Né?

Ah, e o mais importante. Eu perguntei: "Você é feliz assim? Seguindo os CARINHOSOS CONSELHOS da sua amada?".

Ele: EXAGERADAMENTE feliz.

Talvez se a gente possa ser mais maleável, né, meninas?
Hehehe!


Pensarei sobre.
E vocês, o que acham disso?
Digam-me nos comentários.


Aviso-os que quarta-feira me ausentarei e só retorno no DOMINGO.
Viajarei à trabalho e farei de tudo pra conseguir um MODEM 3G para me comunicar com vocês.

Admito que já virou vício. Não fico sem as conversas noturnas com as meninas cumbucas no grupo do msn, sem meus twitteiros preferidos, sem postar. Enfim.
Vocês são parte de mim e até alguns amigos tem ciúmes de vocês!
Hahaha!


Beijos!

Cumbuca Mor.

domingo, 25 de julho de 2010

Desconfiada, eu? Magina.





Saudade da Cumbuca Mor, gente bonita?
Estou na área!
=)

Desculpem a minha ausência desde QUINTA-FEIRA, quando não pude postar porque houve o primeiro chat das cumbucas, com o meu Ex Coisa (novos leitores, leiam posts anteriores que saberão o que são COISAS no dialeto cumbuca) respondendo atenciosamente as perguntas da mulherada.
Estou tentando recuperar o log do chat para colocar no ar as melhores perguntas e respostas. Aguardem.

E entre sexta e domingo, MUITA coisa ocorreu e INFELIZMENTE, não poderei postar tudo detalhadamente, visto que posso realmente me prejudicar e vir a me tornar MAIS CUMBUCA AINDA, se é que isso é possível.

Posso até falar pra vocês que parece, eu disse PARECE que essa fase está melhorando, quem sabe da história, pode até dizer: "A Cumbuca Mor tá virando panela!Ê ê"! Mas não, não se iludam, da mesma forma que eu estou trabalhando minha mente para não cair neste "conto do vigário". E acho que o post de hoje poderia ser sobre isso: Ser cumbuca me deixou ASSIM.

Existem várias reações possíveis para nós, que levamos tombos atrás de tombos, uns mais leves, apenas incham o dedão, outros incomodam mais, como aquelas topadas nas quinas do sofá com o dedo mindinho(só um belo palavrão para fazer a dor ir embora mais rápido... Engraçado como funciona PARA AS TOPADAS DE VERDADE, apenas), outros são catastróficos, deixam danos irreparáveis.

Pois bem, uma das reações é a incredulidade em um ser que se aproxime te prometendo alguma coisa, ou elogiando, ou seja lá o que for que ele faça pra te convencer de que você pode ser uma panela. Você simplesmente faz o que eu fiz e citei em um desses posts, diz que "não presta", que não é um ser namorável... Você até fica com outras pessoas, mas passa a agir como um "hominho".

Exemplo?

Estava eu, dia desses, em um "show". Troca de olhares, conversinha, dancinha (a maldita dancinha) e fiquei com um bonitinho lá. Papos, sintonia, tudo para uma troca de telefones no final.
Mas eu me despedi e disse: até qualquer dia, por aí, quem sabe.
Ele: nem seu telefone vai me dar?
Eu: não, não... Me dê o seu, se quiser.
Ele: você jamais ligará... Mas, anota aí: xxxx-xxxx
Eu: provavelmente, mas, quem sabe?
Ele: pode me ver amanhã?
Eu: não, marquei com uns amigos...
Ele: o dia todo?
Eu: É. Tenho que ir... até.

Entre outras atitudes típicas de homens que nós, mulheres cumbucas, passamos a adquirir.

Mas tenho que admitir que ALGUNS ou UM desses acaba abalando a estrutura e quebrando essa "falsa" barreira que a gente coloca, e vamos entrando NOVAMENTE na mera ilusão de que uma cumbuca pode se tornar uma panela. Pois, vos digo: mesmo que aquele menininho legal, fofo, bonitinho, gente boa, que te liga no meio da madrugada, que te apresenta como a "coisinha" dele para todos que os cercam, ainda assim, desconfie.

Quantas de nós já não passamos por isso? Amorzinho pra cá, meu docinho pra lá e, no outro dia, você recebe o convite do casamento com OUTRA txutxuquinha? (Exagerei, mas só pra ilustrar melhor... Coisa de sagitariana).

Então a tal da PRIORIDADE e EXCLUSIVIDADE só deve existir quando for realmente algo que valha à pena e que você tenha CERTEZA de que quer abrir mão de certas coisas pra investir na possível tampinha.

Pessoas desconfiadas, é o que nos tornamos.
Não deixemos de VIVER as coisas nem de conhecer pessoas, uma delas pode ser a que quebra a barreira. Mas já que somos cumbucas, temos que ser 38 mil vezes mais ligadas e "evitar a fadiga" (fala de Jaiminho, de Chaves, que quer dizer: É um cansaço geral, e a fadiga extrema pode levar aos limites da exaustão).

Tombos, meio difícil de não levarmos, até panelas tropeçam, mas é bom estarmos preparadas para amortecermos uma possível a quedinha, né?


Então, meus queridos. Hoje eu paro por aqui. E tenho uma má notícia, talvez eu viaje à trabalho por UMA SEMANA, mas tentarei levar um modem de internet para me comunicar com vocês sempre que possível.

Não me abandonem no twitter, nem aqui, nem nos seus corações! Hahaha! Enviem o link do blog para todos os amigos e amigas que necessitam se encontrar em um grupo DE CUMBUCAS.

Indico:
www.corporativismofeminino.com
www.sexyhelpdesk.net
www.digomasnaofalo.blogspot.com
www.medeixadizer.blogspot.com
www.omerengue.wordpress.com
www.putzpedro.blogspot.com
www.paqisso.blogspot.com
manualdasencalhadas.com.br/blog


Beijos e até breve.

Cumbuca Mor

quarta-feira, 21 de julho de 2010

A típica NÃO Cumbuca




Estou conversando com uma amiga NÃO CUMBUCA que faz parte do Quarteto Fantástico (para os novos leitores, explico que são umas amiguinhas hiper ativas que eu tenho, que vivem felizes full time, que discutem entre si, que são lindas e se amam. Eu tô dentro. Pronto) e falei para ela ler os posts recentes, já que ela está de férias, coisa e tal...

Daí, ela vira (no MSN) e me diz: por que você não posta o meu dilema no souumacumbuca?
Eu respondo que ela não é uma cumbuca, nem ex cumbuca, portanto, não tem lógica as histórias felizes dela virem parar aqui.

Ela insiste e eu vou apenas vos contar para que concordem comigo que ela NÃO É UMA CUMBUCA. ¬¬

Vamos lá, o pseudônimo dela pode ser Ahloka, que condiz exatamente com a sua personalidade . Uma pessoa desprovida da chamada FRESCURA, apesar de ser uma loirinha de traços delicados. (Hahaha).

Uma menina que SEMPRE namorou, vejam vocês, toda trabalhada nos relacionamentos duradouros. E digo mais, é daquelas que acaba com um, conhece outro, se apaixona, namora, anos depois, fim do romance... Mais um namoro, e por aí vai.
Nos pequenos espaços de solteirice (por opção), ela saía com amigas, se divertia, conhecia alguém e... NAMORAVA.

Já sabe-se que ela DEFINITVAMENTE não é uma de nós. Espero que você, Ahloka, se convença disso também. Afinal, sua historinha já está sendo relatada aqui. Serás descascada e devorada viva por meus leitores! (HAHAHA = Risada do mal).

Daí, ela disse que está passando por um DILEMA TERRÍVEL. Compartilharei com vocês, cumbucas queridas.
Ahloka conheceu um carinha em uma festa, bateu o olho e disse: QUERO ELE PRA MIM. Ou seja, o desejo de uma não-cumbuca, é uma ORDEM. Se a gente disser, pensar, mencionar isso, é caixão e vela preta pro nosso queridinho. Continuando, ele também passou umas olhadas nela e quis saber mais da loirinha, ahloka ,sem frescura e encantadora.

Para ajudar esse relacionamento, a sorte fez com que ele fosse AMIGO do paquerinha de uma AMIGA do Quarteto Fantástico. Ah, que chato. Sair de casalzinho? Nada cumbuca. E lá se vão conversinhas, encontros e FICAM. Química? Foi pouco para definir tamanha sintonia entre os pombinhos.

Tudo PERFEITO até aqui. Mas toda bonita história tem uma emoçãozinha. Eis que um dia, enquanto ela estava na praia a admirar seu belo paquerinha praticando o surf, uma das amigas pega o celular dele e vê uma mensagem feminina, que dizia mais ou menos o seguinte: "POR QUE VOCÊ SUMIU? ME DEU UM BOLO. ISSO É UM FORA"?
Nossa, ela ficou AHAZADA! Ele "tem" alguém.

Alô, filha... Você não percebe que ele DEU O PITU (vulgo: sumir) na concorrente? Será que é porque ele está A FIM de você? É, é sim.
Existe motivo pra dilema até aqui, gente? Não, não existe.

Próximo e último passo da vida sufrida da Ahloka: "Poxa, a gente já fica há dois meses e ele não quer me assumir".

Fatos:

1. Ele está em TODOS os cantos com ela, de mãos dadas, beijos e abraços.
2. Quando alguém liga pra ele, ele diz: estou com minha "nêga véia" aqui.
3. Só a chama de AMOR pra todos verem, para fazer inveja às cumbucas que estão presentes. (Oi?).

Mais uma, só pra fechar a conta e passar a régua?

4. Manda mensagens, liga, chama pra ir à casa dele.

Amiga querida, VOCÊS ESTÃO NAMORANDO. Só não tem um TÍTULO ainda. Mas, o que te falta, AHLOKA?

Olha, ouça um conselho da tia aqui: já vi muita gente se tornar cumbuca por reclamar de mais. Aquele ali, lá de cima, o Deus dos Cumbucas, castiga. Tá?

Agora aproveite o seu AMOR, não me aperreie mais com esse papinho de DILEMA amoroso, que você não tem do que reclamar.


É isso, lindinhos e lindinhas.

Podem descascar a minha amiga Ahkola!
Ela merece.


AVISO DO DIA: Hoje, quinta-feira, às 23h30, como vocês sabem, um Ex Coisa irá nos prestar um favorzinho: responderá perguntas da mulherada cumbuca sobre sexo, relacionamento e comportamento. Enviem as suas para souumacumbuca@gmail.com.

Infelizmente, para não virar bagunça e tumultuar, teremos algumas convidadas participando do chat, mas as melhores perguntas / respostas, estarão no ar em breve.

Ah, gostaria que os leitores HOMENS participassem mais. Apenas o "Anônimo", o Guh e o Dudu, estão deixando a opinião masculina por aqui. Até o Tupperware, ex coisa, se ausentou.

Saudações ao autor do www.digomasnaofalo.blogspot.com que é o mal humorado mais FOFO deste país! Visitem lá! É do Lipe Basilio.

Lorena também, sua engraçada: www.medeixadizer.blogspot.com !

terça-feira, 20 de julho de 2010

Raspas e restos te interessam, Cumbuca?





A bendita atenção. Quanto mais você quer e pede, MENOS você tem.

Qual the secret, então, pessoas bonitas que por aqui perpassam?
Quem sabe manejar a arte de não ser ignorado?
Seria fazer o mesmo? Ignorar quem você quer que te dê 10 centavinhos de atenção?

Começo a crer que sim.

Joguinho? Não. Aí que está. Isso não sustenta-se por muito tempo. Conheço algumas pessoas LIGEIRAMENTE FRIAS que conseguem agir assim pela eternidade, apenas esperando que a VÍTIMA se arrependa e vá atrás, pedindo clemência e atenção. Aí você pensa: É a hora que tudo se acerta e fica tudo LINDO. Não, essa pessoa, capaz de tal ato calculista, pisa mais um pouco para TALVEZ, te dar uns segundos de atenção.
Migalhas, na verdade.
Para o fogo, essas pessoas! (Nem sempre sou do mal).

Mas aí o jogo pode virar.
Quando você REALMENTE NÃO QUER MAIS AQUELA MALDITA PESSOA, ela vem atrás de você, como um ímã, como numa fórmula detestável de matemática ou física (bons tempos de escola... A, ai). Quando já não tem mais graça, quando el fuego já se foi, quando você nem tem mais o gostinho de revidar com um NÃO bem redondo, como os ZEROS que meus amigos burros levavam na escola, a pessoa VEM EM BUSCA DE ATENÇÃO.

Olha, Deus dos Cumbucas, se tem algo que tenhamos que aprender com essa LEI desregulada da atenção ao próximo, eu não sei. Mas acho que vou ficar craque, logo mais, é em ser fria, calculista, tratar as pessoas como copinhos descartáveis com refrigerante sem gás de festa infantil.

Fala "prêsse" povo parar de ser assim, dá pra ser?
Eu, como Cumbuca Mor, vos peço que se pronuncie quanto a isso, em nome de toda a comunidade cumbucal, que já não vê mais graça nessa coisa toda de ser ignorada. Se continuar desse jeito, o bicho vai pegar por aqui (não veja isso como ameaça). Já combinei com umas amigas cumbucas por canais virtuais (você deve acompanhar, já que está SEMPRE CONOSCO), um tipo de movimento que vai dar trabalho.
Agradeço em nome de todos o recheio de cada dia, amém.

Feita essa breve "oração", fica aqui meu recado à VOCÊ (interno: que acha que é só pra VOCÊ, mas serve para uma boa leva de pessoas que saberão que estou falando para elas), que SENTE PRAZER FÍSICO, MENTAL E ESPIRITUAL ao ignorar outro ser semelhante à você: Isso não é bonito, não traz benefícios à ninguém, a não ser para o seu ego. ¬¬

E quero fazer uma pergunta à vocês, cumbucas.
Sei que MUITAS VEZES raspas e restos nos interessam, aliás, às vezes, é SÓ o que nos interessa. Mas no caso de querermos algo mais, até que ponto valem à pena as migalhas dormidas do pão de outrém?

Um salve ao nosso ilustre Cazuza que me cedeu migalhinhas e trechos de sua canção.

Enfim, sem mais piadinhas sobre pessoas do MAL (ei, não foi tudo pra você, sem malcriação amanhã no MSN ¬¬), fico por aqui.


Um salve também para as queridas que estiveram comigo no grupo do MSN hoje e, principalmente, para as que ficaram comigo até agora, às 4h da madruga: Lorena e Paulinha (Twitters: lorena777 e @Adm_AnaPaula).

Ah, o blog da Lorena: www.medeixadizer.blogspot.com . Indico muito.


E um último recadinho: na quinta-feira, às 23h30, rolará um CHAT online com um muitíssimo solícito Ex Coisa, que responderá EXCLUSIVAMENTE perguntas da mulhegada! Ou seja, que tiver questionamentos sobre sexo, relacionamento e comportamento, enviem para souumacumbuca@gmail.com que serão passadas para o TUPPERWARE (codinome do cidadão).

Perguntinhas que nunca foram feitas aos seus COISAS? Pergunte ao meu ex legal! Hahaha!

As melhores perguntas serão postadas com as respectivas respostas.


Juro que por hoje é só.

Beijos e fiquem com o nosso Deus dos Cumbucas (aquele mesmo que atenderá minha prece lá de cima).


Cumbuquinha Mor, para os íntimos.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Ah, a hipocrisia...




Eu até já pincelei sobre esse assunto aqui (http://www.souumacumbuca.com/2010/07/ordem-dos-fatores-altera-o-produto.html), mas foi falado por um ângulo diferente.

Como alguns já sabem, meu mais recente Ex Coisa irá participar deste blog em um chat que faremos no grupo do MSN. O resumo deste PAPO vem pra cá. Quando confirmar dia e hora, passo pra vocês. Mas peguei algumas perguntas de algumas leitoras e já repassei para o "entrevistado".

Ele foi bem sincero, e as perguntas são sobre sexo, relacionamento e comportamentos. Em uma dessas que enviei pra ele, falava sobre sexo oral no primeiro encontro, por exemplo. E a resposta clássica é de que os homens gostam, claro, mas fica uma pulguinha atrás da orelha que os faz pensar em quantos membros ela já colocou em sua linda boquinha.

Ele não tem culpa de pensar assim, porque QUASE todos pensam assim, e é uma cultura impregnada. A cultura da hipocrisia. E não sei porque as mulheres aderem à isso. Até entendo que umas fiquem na cruzeta. "Se faço o que estou a fim, ele vai me achar uma VADIA, se não faço nada, ele até vai depositar CONFIANÇA em mim, mas se vier a casar, vai procurar uma que faça de tudo na rua". Escolha: taxada de vadia ou ser corna. ¬¬

Esse assunto é mais falado do que tudo no mundo, mas é algo que NÃO MUDA. Um leitor anônimo comentou no post passado falando que ERREI ao ligar no dia seguinte, fiquei FÁCIL, ou seja, perdi a graça.

É muito chato viver em um mundo de aparências, onde as pessoas encenam. A mulher se passa por certinha e pode até trair o marido pra satisfazer a vontade de ser quem nunca foi na cama. O homem trai (quase 90% deles, sendo otimista) por querer satisfazer sua vontade também. Ah, e isso é MAIS QUE VÁLIDO para namoros também.

O governo deveria pagar uma belo pacote com sessões de terapia para o Brasil inteiro, um tratamento obrigatório para as pessoas tirarem esses pensamentos retrógrados e pequenos de suas mentes.

Desculpem a falta de humor no post de hoje, que é até a proposta do blog, mas é meio revoltante saber que algumas CUMBUCAS continuam sendo CUMBUCAS por causa disso. E mais, pretendo ser assim por muito tempo até achar um cara que não queira que eu encene pra parecer uma boa mulher. Já sou uma boa mulher, ora. ¬¬

Pois bem, sei que é praticamente querer remar contra a maré querer ter meu próprio comportamento, me chamarão de revoltada feminista, esse tipo de coisa. Mas não estou muito preocupada com isso. Cumbuca até a alma! Hahaha!


Beijos para todos que passam por aqui.

Cumbuca Mor

domingo, 18 de julho de 2010

Não entendo...





Realmente a vida é engraçada e prega peças na gente, né? Mais ainda para a nossa trupe.

Como vocês sabem (minha vida virou, literalmente, um BLOG aberto... O que provavelmente irá me queimar em algumas situações, mas TUDO BEM), nessa sexta passada absorvi a ideia de que não existe mais ex coisa (no sentido de pegá-lo novamente) e estou na fase NEM AÍ. Que significa não ter interesse, no momento, em ter nada que se prolongue com outrém. O abuso cria filamentos e atingem qualquer um que se aproxime.

Pois bem, estava eu ontem, em minha residência, reunida com amigas, tomando uma cerveja, ouvindo músicas que vocês nem queiram saber, dançando, rindo e reclamando da vida. Tudo ótimo. De repente, chegam UNS AMIGOS delas com mais cervejas e animação.

Até aqui, tudo sob controle. Até que começo a conversar mais em particular com um deles, super gente boa e que já conhecia através das meninas do QUARTETO FANTÁSTICO. Papo vai, papo vem, dança vai, dança vem... E no meio desse papo, começa-se a falar sobre relacionamentos. Aí, a cumbuca aqui faz o que? Desacreditada que sou (estou), dano-me a falar que não estou em fase de ter nada com ninguém, que tenho mil amigos (HOMENS) e que minha atenção está voltada pra todos eles, que mal tenho tempo pra nada, que não abro mão de amigos por causa de ciuminho, odeio cobrar e, MUITO MENOS, ser cobrada. Aquele papo FEMINISTA. Golpe de misericórdia em qualquer interesse que o rapaz poderia vir a ter em minha pessoa.

NÃO, não foi. E começo a desconfiar que o segredo é esse. É o segundo "pretendente" que faço questão de mostrar o quão não namorável eu sou e a pessoa, no final de tudo, diz que ME ADMIRA por eu ser assim.

HAN?

Não, não me admire porque eu "não presto" (eu presto, apenas não estou prestando neste momento). Eu não ligo no dia seguinte, não atendo, dependendo do meu humor... E sou CHATA. Tudo isso foi avisado no papo super mega ultra sincero: não estou em fase de ME APEGAR a seu ninguém.

Ah, fiquei com ele. Na parte da dança, foi inevitável.

E o engraçado que eu citei no começo do post, é que quando você MENOS espera, ou pior, quando você NÃO QUER alguém dizendo que QUER NAMORAR COM VOCÊ (é, ouvi isso na primeira vez que fiquei com ele, mesmo que em uma brincadeirinha), ocorre uma coisa dessa.

Detalhe, você sente quando o cara quer BRINCAR, quando não fala sério. Mas foi perceptível que ele ficou encantadinho, sabe?

Entrei no MSN, twitter e outras redes sociais em busca de uma luz de alguma cumbuca. É, a Cumbuca Mor não sabe tudo, não sabe como agir em certas situações. Sou como vocês! Hehehehe!

Daí, passei o dia hoje com amigos, conversando, vendo se não ficaria com o famoso ABUSO DO DIA SEGUINTE (ler o post: http://www.souumacumbuca.com/2010/07/abuso-no-dia-seguinte.html). E até que não fiquei. Já que ele não tinha meu número, liguei.

Ainda não sei o que fazer. Realmente estou sem saco para entrar em outra história que PODE DAR ERRADO. É, um dos problemas em ser cumbuca é esse. Abusos, pequenos traumas deixados por COISAS. E é nessa que você acaba deixando de conhecer pessoas legais. (Não façam isso. Fechar "PORTAS E JANELAS" não é uma boa).

Mas é aquela coisa, você geralmente entra achando que é legal, e acaba não sendo NOVAMENTE(desculpem minha visão pessimista de hoje. É a fase, já passa).

Não vou me prolongar muito, pois estou ainda sob efeito de alguns pensamentos indefinidos e confusos.

Aproveito para agradecer algumas e alguns cumbucas que conversaram comigo esses dias e que melhoraram meu humor, meu astral.

A melhor coisa que fiz, foi criar esse MSN (souumacumbuca@gmail.com, para os que quiserem).
Hehehe!

Ah, dois leitores me falaram para eu abrir um GRUPO para que cumbucas possam se reunir e conversar, trocar ideias, como tenho feito.

Providenciarei e aviso por aqui.

Beijos a todos e até amanhã!

*Quem tem twitter, segue @souumacumbuca. Jajá rola sorteio do mascotinho: http://twitpic.com/23cgv9


Cumbuca Mor.

sábado, 17 de julho de 2010

Sintomas de Cumbucas





É, meus caros.

Ser cumbuca não é pra qualquer um.

Hoje encerrei, de fato, uma história, se que é que cumbucas tem o priviliégio de ter histórias, com um ex coisa. Desci do salto, como diz a história e falei tudo que estava a fim de falar.
Assumo, bebi um pouco, o suficiente pra me fazer ter um momento insano, e falar de forma que não tivesse escapatória para que ele me dissesse algo do tipo: NÃO QUERO MAIS FICAR COM VOCÊ.

Tudo bem, não ouvi com essas palavras, mas diante do contexto, sabe-se que já deu e que é hora de sair de cena. O bom é que eu já estava nessa fase desacreditada, foi só pra concretizar e fazer com que eu me sentisse LIVRE dessa vontade.
Esse ROLO todo, contarei em um outro momento, talvez até com uma visão mais esclarecida sobre tudo.
Inclusive, agradeço à você, ex coisa, pela sinceridade e pela conversa. Hoje estava sem inspiração pra postar, e foi isso que me fez levantar da cama às 5h30 da manhã para isso. =)

Então, feita a intrudução relatando um pedaço de uma breve história TÍPICA de cumbuca, venho topificar alguns SINTOMAS para que você se identifique OU NÃO, como um de nós.

1. Ter a incapacidade de se dar bem em um relacionamento.
Esse é o carro-chefe dos sintomas. É daqui que parte tudo. É não ter explicação coerente para que você não siga adiante com NADA que comece.
Por exemplo, você é bonita, inteligente, legal, descolada e beija bem. Não tem bafo, se depila direito, é higiênica. Você pensa: POR QUE estou só? Por que as pessoas EVAPORAM? Por que, meu Deus dos Cumbucas (é, ele é seu Deus a partir da descoberta deste sintoma)?.
É, não existe razão óbvia para que isso ocorra com você. Até fiz um post sobre possíveis motivos (ver em http://www.souumacumbuca.com/2010/06/quais-as-possiveis-razoes-para-sermos.html), mas ainda é tudo especulação.
Você nasceu nessa leva de CUMBUCAS e não há nada que possa fazer com que você deixe de ser um dos nossos. Aliás, milagres existem. O nosso Deus está aí pra isso! Hahaha! (Como não sou a Deusa das cumbucas, espero estar errada acerca deste tópico).

2. Ter a capacidade de entrar em situações que você SABE QUE NÃO VAI DAR CERTO.
Já vejo leitores dizendo: "Sou eu, impressionante. Minha cara, esse tópico".
Uns entram nessas vielas sem saída por esperança de que dessa vez seja diferente. Não, no final, não dá certo. E se der, desconfie e investigue, algo pode estar fora dos conformes.
Já outros entram porque não tem nada a perder. Se tudo que você faz, por mais coerente que seja, dá em merda (com o perdão da expressão), por que evitar?
De uma forma ou de outra, estamos sempre fazendo o que uma pessoa sensata não faria.
Exemplos: ficar com caras comprometidos, com caras totalmente diferentes da gente, com pessoas que moram do outro lado do mundo, com seu chefe, com o pai da sua amiga, com o namorado da sua prima. Enfim, as situações são infinitas e você sabe disso, MAS ENTRA.
Detalhe, não quer dizer que ficamos com qualquer ser humano que apareça pela frente. Esses atos são direcionados àqueles que tiram o ar, que nos deixam tontas, que fazem a gente perder a tão falada DIGNIDADE.


3. Falando em dignidade, isso merece um tópico. Até certo ponto da sua vida, você pode nunca ter perdido a compostura (como ocorreu comigo durante um tempo), mas você desce do salto, roda a baiana, dá XILIQUE.

Então, aqui é quando você se desconhece. Você não achava que era capaz de tamanha idiotice. Mas você É. Ou seja, é um sintoma que te pega de surpresa. Você tá ali, na sua vidinha, tudo certo, aquela paz. De repente, as pessoas te desconhecem, te dão conselhos em vão. A única coisa que você tem em mente, é algum ser que te faz claramente de besta, e o pior, VOCÊ SABE DISSO, mas continua. Continua até que o Deus dos Cumbucas toque o seu coração e faça você parar de dar murro em ponta de faca. Claro que esse processo pode ser adiantado e você não tenha que esperar esse toque divino. Quanto menos tempo na "ignorância", melhor. Mas todos tem direito de ter esse momento. É até bom pra nos conhecermos melhor, perdermos um pouco de ORGULHO e saber que não somos TÃO FODAS a ponto de nada nos abalar.

4. Ter a capacidade de se tornar patético.
O tópico inclui atitudes como: ligar ou mandar e-mails depois de beber, mandar mensagens antes de dormir, falar com melhor amigo do fulano, fuçar orkut, twitter, facebook ou qualquer lugar que possa te dar informações que você não tem coragem de perguntar (até porque seria mais ridículo ainda). Esses seriam sintomas de pessoas INSEGURAS sob o olhar de qualquer mortal. Mas não só deles, e sim, de cumbucas que tem COISAS. Já disse, quem tem coisa, não tem um RELACIONAMENTO. Não se pode cobrar certas coisas, perguntar, ir a fundo. Daí, usa-se essa técnica para saber onde se pisa.

Os sintomas são esses, e as consequências que podem ocorrer perante esse carma, são:

1. Pessoa sozinha no cinema num domingo à noite na última sessão de um filme de comédia romântica.

2. Pessoa que se irrita com histórias de casais felizes.

3. Pessoa que não acredita em casais de Manoel Carlos (felizes para sempre).

4. Pessoa que foca em tudo na vida que não seja relacionamentos: trabalho, estudos, esportes, comer, beber, se drogar.

5. Pessoas que preferem amigos virtuais a relacionamentos pessoais. (Esses são os muito calejados, que não fazem questão de recheios, de coisas, de mais nada).


É basicamente isso.
Lembro à todos que apesar disso tudo aí em cima, temos o nosso ORGULHO em sermos cumbucas. Existem vários pontos positivos e sabe-se que continuamos tentando, apesar da IMENSA probabilidade de não ter um começo/meio/fim de nada.
Eu, particularmente, adoro começos. São o que fazem a gente vibrar.
Do meio pro fim, são muitos problemas.
Aí você me diz: ah, mas acabar na parte boa também é péssimo.
É, claro, mas se você fizer um balanço, é pegar em bomba mais cedo ou mais tarde.
(Casais felizes, não leiam essa parte).
Existem sim, os que dão super certo, vivem felizes e tranquilos, mas são excessões. Não venham me dizer que 90% dos casais que vocês conhecem vivem em um mar de rosas.

Logo, todos tem problemas. Não somos a base da escala da infelicidade por isso.
A fila anda, que venham coisas e recheios.


Beijos a todos os cumbucas queridos que me fazem companhia por aqui.


Cumbuca Mor.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Vítimas de falsas reboladas




Estou escrevendo, mas nem sei se isso será um post, propriamente dito.

É que eu estava conversando com um amigo no MSN e ele me colou uma parte da conversa entre o mesmo e uma menina. Dizia mais ou menos o seguinte:

Fulana: "aaah, amigo da Cumbuca Mor, você REBOLA demais. E quanto mais charme você faz, mais eu fico a fim. Hihihi"

Ele me mostrou e riu.
Eu perguntei: "você está rebolando ou não quer mesmo? E ela é tolinha a ponto de achar que é charminho?
Ele: Não, nem quero mais.

Bem, bem... Parei para pensar acerca deste acontecimento e me coloquei no lugar da iludida lá.
Ela achando que o rapaz está dando uma de difíl, ele me colando a conversa e RINDO disso.

Meus botões, que sempre raciocinam comigo, disseram-me: você também já foi uma dessas! (Acho que AINDA estou sendo, amigos botões).
E quem não foi?

Tudo isso porque as pessoas insistem em não ser sinceras. Em não deixar claro o que querem, seja apenas sexo, seja ficar, seja qualquer coisa, que não REBOLAR.
Até porque se o objetivo é remexer os quadris para alguém, não faz sentido a vítima ser avisada.

Alguns podem dizer: ah, mas sou egoísta mesmo. Se eu falar na cara dura o que quero, se não ENCANTAR a besta (ou o besta), acaba não rolando. Prefiro pensar no meu umbigo mesmo.

Infelizmente, para estes, não me resta argumento. Apenas alguns xingamentos e palavras de baixo calão. Mas não o farei, este é um blog de respeito e que pode ser lido por toda a família brasileira (estrangeira também), do pré-adolescentes à vovó (existem vovós cumbucas, sabiam?).

Enfim, se você aí faz isso, eleve suas mãos à consicência e pense que é feio e chato deixar as pessoas do outro lado da tela do MSN com cara de idiotas, enquanto você ri.
Ah, esse meu amigo não é idiota, ele realmente não sabe como se sair das coisas e acaba sendo o velho LEGAL DEMAIS que ilude as menininhas.

Cumbucas, fiquem atentas aos quadris! Pode não ser uma simples e charmosa rebolada, talvez ele realmente não te queira e não quer ser indelicado (sendo assim, covarde).


Por hoje, fico por aqui. Foi só um pensamento que me veio e quis compartilhar com vocês, pois, LEMBREM-SE: CUMBUCA COM DIGNIDADE.
Hahaha!



Ah, gostaria de me desculpar com o Lipe Basilio, pois citei o blog errado no último post.

Segue agora o BLOG que vocês devem ler: www.digomasnaofalo.blogspot.com

Não sei vocês, mas eu me identifiquei demais!


Vejam também:

corporativismofeminino.com
sexyhelpdesk.net
mulherzinhas.net
paqisso.blogspot.com
putzpedro.blogspot.com
the-simple-world.blogspot.com

Hoje é quinta, véspera de feriado em Recife, dia de cumbuca sair de casa e ter o que contar AQUI amanhã!
#ahloka

Beijos de La Cumbuquita Mor!
Hehehe!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

La Vida de La Cumbuquita - 1° Episódio




Estou a conversar com uma leitora no MSN e trocando figurinhas de cumbucas com ela. Daí veio a inspiração para contar uma das minhas histórias de looser.

Tenho tantas que se eu contasse de uma vez, seria um POST ULTRA GIGANTE. Farei como se fosse um seriado. Não será em ordem cronológica, pois meu carma começou aos 10 anos de idade (existe?), contarei os mais interessantes e, espero, por Deus (dos Cumbucas), que boa parte dos meus ex coisas não leiam isso aqui.

Ps.: O mais recente deles disse que entrava de vez em quando, então já leu tudo o que penso a respeito dele. Não terei problemas em seguir adiante e entrar em mais detalhes. Ele até já me deu permissão para falar da nossa "história" em Jô Soares, preservarei sua identidade.

Pois bem, a de hoje não será a DESTE, deixarei para o grand finale da série: La Vida de La Cumbuquita Mor.
Hahaha!

Vamos ao ANTERIOR, então.
Como tenho muitos amigos, não era de se espantar eu que ficasse com algum (ou alguns), e quando digo AMIGO, é AMIGO MESMO, por mais que os homens leitores digam que quem tem amiga, é cabeleireiro. ¬¬

Então, ocorreu de eu ficar com ESSE, que posso chamar de Estranho daqui por diante. Ele sempre falava: "um dia ainda namoro com você", essas coisas, brincadeiras. Tanto que ele sempre me contava das CINCO meninas que ele ficava ao mesmo tempo. Ou seja, eu, em sã consciência, JAMÉ ficaria com ele, sob nenhuma hipótese, NUNCA.

Como NUNCA devo dizer a palavra NUNCA, aconteceu o que eu não previa: fiquei. Tudo bem que foi em uma boate, danças calientes, bebidas. Todo um cenário para que aquela ficadinha terminasse por ali.
Primeiro beijo, risadas, estranhamento... Pegou na minha mão. (HAN?).
Ok, pagando de casalzinho.

Ida para casa. MÃOS DADAS AINDA. Voltando no táxi, deitado no meu colo. (Meu Deus).
Não quis que eu fosse até a minha casa com o taxista estranho, dormi na casa dele, o que para mim, seria normal, se eu não tivesse de ROMANCE COM MEU AMIGO.

Dormimos abraçadinhos, coisa e tal (coisa e tal não envolve sexo)... Acabei entrando na onda, não poderia correr dali, né?
Acordamos, E AÍ? Me arrumei, da maneira que pude, e me dirigi até a porta. Ele estava deitado na sala, tranquilo e calmo, e lá ficou. Apenas me chamou para dar tchau. Adivinhem: UM SELINHO.

Putz, selinho no dia seguinte, é romance.

Bem, essa história se prolongou por 10 meses, só que com PICOS de alternância de interesses.
No primeiro momento, ambos estranharam, mas ele QUIS mais que eu.
No segundo momento, me acostumei com a ideia e passei a agir como uma ficante, e não mais SOMENTE como amiga.
O que acontece com cumbucas neste momento da história?
Ele RECUA, claro.

Como eu já havia saído de outra coisa DIFÍCIL, deixei pra lá. Melhor evitar problemas, correto?
O próximo passo segue a fórmula infalível: eu não quero mais = ele corre atrás.
Complemento da fórmula: carne é fraca + insistência dele = ficar com ele de novo.

Aqui tivemos até umas semanas de paz e de interesses mútuos.
Mas Estranho era muito estranho e começou com uns papos de não saber o que queria pra ele naquele momento, que a gente tava ficando muito sério, que tinha medo de perder minha amizade (esse VELHO papo já deu, hein galera?) e que precisava PENSAR.
"Ok, pense".
...
...
Esperei demais, tchau.
A fórmula completa entra em ação e essa palhaçada de ESTENDEU por um longo tempo.
Inúmeras indas e vindas (em todas as vezes, EU acabei e EU cedi novamente).

Agora vem a parte mais importante do texto e o que vai justificar eu ter escrito tudo isso para vocês.

Em nossa última conversa (nessa, ELE foi quem acabou comigo, literalmente), Estranho disse: Cumbuca, além de EU NÃO ESTAR EM UMA FASE DE NAMORAR, posso dizer que gosto muito de você, mas sei que jamais namoraríamos. Você não é a mulher que me vejo namorando.

NOCAUTE!!

Se tivesse uma cena para representar de forma fiel essa fala, colocaria aquele jumentinho do Pânico dando um coice.

Na hora ouvi, engoli seco para digerir depois, em casa. Mentira, depois de pegar CARONA COM ELE E A FAMÍLIA ESTRANHA INTEIRA, parei em um bar e digeri por lá mesmo, com muita cerveja, filé com fritas, caldinho e amendoim (já estava na fase da comilança, citada no post anterior).

Passado o ÁPICE do meu causo, eu vos digo que ouvi várias vezes: eu teria meus filhos com você, me sinto tão bem contigo, você é um exemplo de mulher. Pra @#%$$& com essas pequenas frases de grande significado.

Se me permitem ser mais grosseira, PRA QUE PORRA encantar a pessoa, pra no final, dizer uma coisas dessas?
Ps.: Estranho, se você ler isso algum dia, sabe que não ficou ressentimento, estou expressando meus sentimentos daquela hora, daquela semana, daquele mês. É até bom que você saiba para não repetir isso por aí. É FEIO, viu? Run!

É, porque eu tenho o dom do esquecimento. Depois que passa, somos velhos amigos e tá tudo certo. E minha raiva dura até que eu me encante por outro, que no caso, foi o EX COISA mais atual, o Tupperware (guardem este aí, é o do grand finale), que acabo ficando com raiva também... E é assim o ciclo cumbucal.

Mas é o que digo, PRA QUE minha gente, PRA QUE tornar um simples ficar em uma história de 10 meses (ou de DOIS, né? ¬¬ Comentário interno. Já que VOCÊ lê isso aqui, que leia algo direcionado)? Não entendo.


Vamos para o fechamento da história. Querem adivinhar, ou digo logo?
Vou contar, o texto já está muito extenso.
Estranho conheceu uma menina no carnaval (ele ficou comigo até a sexta do carna), e depois de uma semana, COMEÇOU A NAMORAR.

Não precisava nem dizer isso aqui, mas para engrossar o caldo, conto-lhes que durante ESSE EXATO PERÍODO, tive um pouco de receio de estar esperando um ESTRANHINHO dentro de mim.

Que bela história.
Graças ao Deus dos Cumbucas, não tinha mini estranho, doeu, mas passou e agora estou aqui pra contar pra vocês.
E BEM, posso garantir. E uma das coisas que fez acelerar o processo de esquecimento, foi rir de mim mesma. Meus amigos sabem disso e agora, vocês também! hahaha

Sou a prova viva de que tudo passa, esse e tantos outros foram-se sem deixar maiores estragos.


É isso.

Nem vou deixar recadinhos complementares que hoje fui além da conta!
=)


Ah, indico os seguintes blogs:

corporativismofeminino.com
sexyhelpdesk.net
mulherzinhas.net
paqisso.blogspot.com
falomasnaodigo.blogspot.com
putzpedro.blogspot.com
the-simple-world.blogspot.com

Beijos e até amanhã.


Cumbuca Mor.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Post do Leitor: Fontes de esquecimento





Sheldon_of_Love ataca novamente com seus textos sempre tão sensatos e verdadeiros.
Se ele não tivesse um codinome, o chamaria de O Cumuca Mor, já que sou a versão feminina!
Hahaha!

Efetuada a minha puxação de saco, segue agora o post do rapaz citado acima.

Uma verdade absoluta. Leiam e digam-me se concordam.

"É fato que após uma grande decepção tentemos encontrar algum outro “vício” para suprir a “rombo” deixado pela pessoa amada (ou odiada)...

Pois bem, uns encontram nas músicas melosas e pedantes uma forma de fantasiar a vida que levava com a pessoa amada; outros, procuram nas bebidas a projeção da pessoa amada (não recomendável, especialmente quando se tem uma INTERNET por perto, gerando uma combinação letal de elementos); mas nada... Absolutamente NADA supera o ALIMENTO como forma de esvaziar a mente e aumentar a massa.

Não neguem, todos vocês, leitores deste blog, certamente já acabaram com o estoque da geladeira por conta daquela pessoa que já não está mais presente (encarem como luto). Após a fase de fúria, tristeza e negação, vem a aceitação seguida da GULA. Quanto mais podre e oleosa for a comida, melhor. Você não se importa com dietas, academia, que outras pessoas não te paquerem mais, você apenas come.

Você limita todo o seu organismo a uma boca e estômago. Tudo acabou, o segredo da vida é comer.
Posso até dar meu depoimento. Simplesmente estou digitando isso com uma luva de cozinha em uma mão e um pedaço enoooorme de sanduba ao lado do note. É... Já passei por todas aquelas fases citadas acima... E agora encontrei na comida uma fonte de esquecimento. Mas agora basta esperar pela última fase... Quando você se toca da burrada que fez e cai na academia, MAIS UMA VEZ, para recuperar o tempo e pretendentes perdidos.


Sheldon_of_Love"


Se o autor deste post me permite, farei um breve comentário acerca de mim mesma.

Estou na velha fase de "à partir de segunda-feira...". Eu faço academia, tento frequentar como se fosse uma seita, uma obrigação. Isso porque COMO TUDO QUE VEJO PELA FRENTE. Ou seja, eu treino como se fosse uma recompensa para o meu querido corpo, que recebe doses diárias de comidas do tipo que Sheldon falou.
Todo domingo eu digo que SEGUNDA será diferente, mudarei meus hábitos alimentares. (Piada, por enquanto)

Mas conseguirei. Já passei por todas essas fases e estou apenas transitando de uma para outra.

Mas vale ressaltar que com ROMBO ou sem ROMBO deixado por alguém, eu como muito e sempre.

É isso, cumbucas. Vamos acelerar o processo de mudança de fases e chegar logo na da academia.
Não percamos recheios, coisas, muito menos a auto-estima!
o/


Beijos para todos e hasta la vista.


Cumbuca Mor.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Post do Leitor: Não, não seja patético.





Salve, Cumbucas!

O Post de hoje foi enviado por uma leitora e ela nos conta uma breve historinha de um meliante tipo COLA e sem noção (sinônimos de patético). Desses, sempre aparecem pra gente, né? Engraçado.

Pois bem, vamos curtir o acontecido na vida dela e comentar sobre.


"Minha querida Cumbuca Mor,

motivo do e-mail: contar uma história verídica, se quiser contá-la, postá-la, fica à vontade.
Adorei seu blog, e todos os textos. São muito interessantes.

Em novembro de 2009 eu terminei com uma tampa com a qual fiquei durante 2 anos e 11 meses, ou seja, tive uma sorte boa durante esse tempo. Porém, eu acho que depois dessa tampa, virei realmente uma cumbuca, porque só tenho dado azar desde então.

Mas o fato mais interessante que me ocorreu foi com um sujeito que conheci dias depois de ter terminado meu relacionamento.
Eu moro no interior do Rio, o sujeito, na capital, ou seja, ja tinha um problema gravíssimo: a distância. E tínhamos um ponto em comum: nós dois trabalhávamos na Oi( só esse!)

Acontece que o cara se apegou de uma tal forma que me ligava direto, mandava mensagem, conversávamos direto no msn(isso sem me conhecer pessoalmente). Mas para que não digam que eu estava enrolando o cumbuca (ele deve mesmo ser um), eu deixava claro pra ele que tinha acabado de terminar um namoro, que nao daríamos certo, que eu estava me recuperando ainda, etc... Aquela conversa de sempre.

Quis vir aqui, aí tudo bem, eu aceitei. Só que a mãe dele, veja bem, a MÃE dele liga lá pra casa pra saber dessa história direito com os meus pais.

HAN?
Sabem quantos anos eu tenho? 23.
E sabe quantos anos ele tem? 25!!!!!!

Imagina-se o quão p#@$&$% eu fiquei. Então ele ficou pedindo desculpa, e dizendo que a mamãezinha dele tinha ficado preocupada. ¬¬
Imaginei que esse seria MAIS UM problema, deixei de lado, mas o rolopack ainda continuou atrás.

Resumo: desecanou, sofreu um monte primeiro, falando que estava me amando, e agora, está NAMORANDO. Sempre que entra no msn, puxa papo comigo pra saber como está a minha vida pessoal, um saco!

Por esses dias ele entrou, fez aquelas formalidades iniciais de msn, e foi para a pergunta crucial: e o coração?como está?
Eu respondi que muito bem, obrigada. E ele falando que estava SUPER bem, que ainda gostava um pouco de mim, mas estava feliz com a namorada dele, que Deus me tirou dele (quando que eu fui dele, pelamordedeus?) mas colocou uma outra no meu nível, etc, etc, etc. Me deu vontade de falar, delicadamente: e eu com isso?


UMA DAS histórias que aconteceu comigo, foi essa.

May".


Patético. Esse é meu comentário acerca do rapaz que se apegou a uma pessoa que NUNCA VIU, que namora com outra agora e ainda diz que gosta dela (que foi tirada por Deus da sua vida).

May, manda esse blog aqui pra ele ler. Pode ser que ajude em alguma coisa! :D


Hoje não me prolongarei muito, pois amanhã viajo cedo à trabalho
e só volto no final do dia. Estou correndo com umas coisinhas por aqui.

Beijo pra todos cumbucas, panelas e tampas que visitam este blog.


Cumbuca Mor.

sábado, 10 de julho de 2010

A ordem dos fatores ALTERA o produto?




Depois de chegar de uma farrinha com amigos, cá estou para escrever algo para vocês, minhas cumbucas queridas!
Hahaha!

Estou com muito assunto acumulado e não consegui passar tudo para cá ainda...
Mas hoje, quando cheguei, li um post no http://the-simple-world.blogspot.com/ (muito bom, por sinal) e reli várias vezes o seguinte trecho: "Não, não transei com você. Chega de transar sonhando em andar de mãos dadas. Agora vou andar de mãos dadas pra ver se vale a pena transar. Porque dessa vez vou fazer tudo direito. Chega".

Guardem este pedacinho. Farei a conexão entre os temas logo mais.

No sábado passado, estava em uma casa de shows com uns amigos, onde fui por livre e espontânea pressão com duas amigas do Quarteto Fantástico (quem leu outros posts e comentários, sabe que são as meninas que saem SEMPRE e que vivem FELIZES PARA SEMPRE). Um dos meus amigos me perguntou como eu estava com o EX COISA e eu disse que estava na mesma: não estava. Continuo sendo ignorada, se assim posso dizer, e que estou abstraindo. Indo em frente, tudo certo (consigo seguir esse objetivo de forma mais plena quando não bebo. Considerando que faço isso todos os fins de semana, nesses "três" dias, a coisa complica).

O amigo me responde: "Pô, Cumbuca, posso te dizer o que acho?

Antes que eu respondesse que NÃO (hehehe), ele disse: "Se você tivesse morgado de verdade na época que descobriu que ele tinha namorada (¬¬), hoje, vocês teriam a possibilidade de ter algo sério".

Respondi de forma topificada:

1. Tudo bem. Talvez o lado machista da coisa conte bastante.
2. Não sei fazer joguinho.
3. Sou imediatista. Se estava a fim de ficar com ele naquela época e ele, de certa forma, não fez questão de aliviar pro meu lado de forma a facilitar que eu o negasse, PEGUEI MESMO.
4. Não quero nada sério.
5. Dane-se (o ex coisa). Já fiz a merda (muito boa) e está feita. Que ande a fila.

Bem, fazendo a conexão com o trecho citado lá em cima, é um assunto bastante complicado mesmo. A hora das coisas acontecerem, a ordem que dá maiores probabilidades de que as coisas ocorram de forma positiva a nosso favor.

Como disse ao meu amigo em uma conversa no meio de uma casa de shows, não sei fazer essa contabilidade, sabe? Pensar no que o cara vai pensar se eu fizer isso ou aquilo. Odeio hipocrisia.
Mas depois de ter lido o post, percebi que não se trata de calcular os passos para chegar em algum lugar. É mais que isso.

É se dar o direito de ter coisas NORMAIS, histórias que tenham começo, meio e fim. Claro que é bom ter COISINHAS, mas uma hora a gente cansa (nós, cumbucas, sabemos BEM disso) e queremos algo NORMAL.

22 anos e um currículo de histórias clandestinas. Não sei o que é o NORMAL. Aliás, sei, pelos outros... Mas ainda acho que o lance de ser cumbuca com tampa (ver post "Cumbuca com tampa?" é mais interessante do que ser uma panela tampada.

A reflexão é mais ou menos essa. Sei que não existe uma fórmula, uma ordem para que as coisas aconteçam e corram bem... Mas acho que vale um pouco de cautela, uma tentativa de fazer algo da forma que A GENTE realmente deseja (e não da forma que o OUTRO quer).

Quantas de nós (ou até homens, também) já não fizemos algo só para não perdermos A CHANCE? Como se aquela fosse a última vez, como se não tivéssemos o direito de dizer NÃO e prolongar um TALVEZ.
Ou seja, muitos acabam transando ou fazendo algo que poderia ter sido adiado... E é tão bom esse PROLONGAR.

Enfim. Findo meu post de hoje por aqui e espero que gostem.
Realmente gostaria de ver a opinião de vocês, acho que dá pra render uma boa conversa lá nos comentários.
Para os que tem o meu MSN (souumacumbuca@gmail.com), podemos debater sobre isso também! Podem adicionar, cumbucas.


Beijos pra todos e bom domingo!

Cumbuca Mor.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Post do Leitor: Homens também são Cumbucas





Olá, Cumbucas!
O post de hoje é de um leitor! É, homem mesmo!
Hahaha!
A presença masculina aqui até existe, mas é discreta, poucos comentam ou enviam textos.
O de hoje serve para nos mostrar que existem HOMENS CUMBUCAS TAMBÉM, e que nem todos nasceram somente para nos infernizar, alguns deles sofrem o mesmo mal que o nosso!

Ele não me disse um pseudônimo, mas quando o mesmo deixar um comentário, se nomeará!

Lá vai. Sintam o DRAMA e percebam que existem situações piores que as nossas! (Que maldade, a minha).


"Bom, conheci essa COISA (hehehe), na época de escola, mais precisamente no segundo colegial, isso em 2000.
Nao precisou mais de três olhares para o bobo aqui se apaixonar, como eu era novato na escola e não conhecia ninguem, fui me sentar ao lado da morena com duas trancinhas.

Em poucas horas ja parecíamos velhos amigos, bastaram dois dias para eu ficar com essa COISA!
Ficamos por um mês, mais ou menos, até que ela disse que não queria mais porque tinha um cara bacana querendo namorar com ela... Bla, bla, bla...
Larguei de mão e fui levar minha vida, mas como se fosse um castigo, eu era obrigado a ver aquele anjo, todo santo dia, sentado na minha frente.
Após alguns meses, a COISA e o cara brigaram. Claro que vi minha chance, voltei a ficar com a ela! hehe...
Um dia, dois dias, uma semana e, DO NADA, ela volta com o cara. Pra variar o bobo aqui fica triste, mal... Mas deixei rolar. E assim foi ate o término do ano.

Começa o ano terceiro colegial no ano de 2001...Primeiro dia de aula... Quem está na mesma sala que eu???? Ela mesma! ¬¬
Voltamos a ficar... E eu, a me apegar mais e mais.
Uns quarenta dias depois, resolvo deixar de ser uma Cumbuca e vou eu, todo decidido, pedir a Coisa em namoro. Nesse dia, ela não apareceu na aula. Pedido de namoro FAIL.

Tudo bem, deixei para a segunda-feira. A encontro e vou todo feliz pra fazer o pedido... Levei uma latada (um fora)!
Ela havia passado o final de semana com um cara aí (qualquer) e estava APAIXONADA (como assim?) por ele, não preciso falar que meu mundo caiu, né? Além do que, lá se vai mais de um ano sendo apaixonado pela coisa.

Cansado de sofrer e de ver a COISA chegando e indo embora com o novo namorado, resolvi mudar de turno na escola, mas ela foi mais rápida e pediu transferência para a manhã. Achei que estava curado, que tinha enterrado de vez aquela garota da minha vida.

Passados uns anos, em meados de 2004, me pego pensando nela, resolvo ir atrás para ver como ela estava.
Descubro que ela saiu de casa e que estava vivendo uma vida, digamos, obscura. Não conformado, passei a procurar por ela em todos os lugares, sem sucesso... Até que um dia, estou na banca de jornal, e me deparo com uma loira linda na capa de uma revista masculina!
Era ela!! O coraçao foi a mil, as pernas tremeram... E eu so queria achar a COISA.
Passei mais um bom tempo sem noticias e BUMMMMMMM!

Encontro a COISA QUATRO ANOS depois no Orkut.
Após longas conversas pelo MSN, tel, etc, resolvemos nos encontrar e colocar o papo em dia.
Fomos ao cinema (não consegui prestar atenção 1 minuto no filme,) saímos do Bellas Artes e fomos para um barzinho em Pinheiros.

Papo vai, papo vem, o clima esquentou e ela resolveu me trazer em casa, acabamos ficando e toda aquela paixão, voltou.
Ela estava namorando havia alguns anos e eu, nem me dando conta desse namoro dela, fui me deixando levar, bobo, apaixonado.

Saímos mais algumas vezes, até que o clima esquentou de vez e iria chegar nos finalmentes. Mas antes que isso pudesse acontecer, ela contou que estava pensando em se casar, mas para isso acontecer, ela teria que DZER PARA O MARIDO o que tinha acontecido.

E ela contou! O cara terminou o namoro, é claro... Mas algum tempo, depois eles voltaram, ela teve que escolher entre o namorado de anos e o ficante da época de escola. Adivinhem. Perdi (típico final de história de Cumbucas).

Perdi novamente a única mulher que me deixou de pernas bambas, sem ar.
Hoje ela está solteira, voltou a falar comigo. E sei que se ela chamar eu vou, mesmo achando isso péssimo e ficando puto (desculpem a expressão) com a minha pessoa.
A COISA ainda mexe comigo".

É isso, gente!
O que dizer para o nosso amigo?
Acho que ele deve ler as Regras para Cumbucas e outras diquinhas que coloquei por aqui.
Olha a dignidade, hein?
=)


Beijos e bom final de semana para todos!
Amanhã tento postar algo!

Ah, mais uma vez, agradeço a visita de vocês por aqui!
É realmente animador!
o/

Beijos!

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Cumbuca com tampa?





Hello, Cumbucas do meu Brasil (NY, Argentina e Londres também).
É, gente, tô virando uma Cumbuca internacional!
Hahahaha

Hoje não quis colocar uma história alheia ou contar algo que me ocorreu.
Nada foi tão empolgante para que eu quisesse postar sobre.

Estou a fim de bater um papo com vocês, o que tenho feito por MSN também
com leitores super simpáticos e engraçados.
Quem quiser também, faça o favor: souumacumbuca@gmail.com.

A foto que vocês estão vendo ali em cima é de uma CUMBUQUINHA com TAMPA (pasmem)
que encontrei em uma feira de artesanato que está acontecendo aqui em Recife (Fenearte, muito boa, por sinal. Quem não foi, está em tempo. Acaba no dia 11/07).

Cheguei em um estande e bati o olho nela. Aliás, NELAS! Eram várias reunidas, todas juntinhas e felizes.
O que eu fiz? Comprei na hora e disse para a artesã que ela acabara de dar esperanças à milhares de cumbucas deste país.

Ela não entendeu, claro. Mas o que importa é que a trouxe pra casa, tirei foto e a classifiquei como MASCOTINHO do souumacumbuca! ^^

Olhei bastante pra ela e refleti.
Pensem comigo.

O que significa uma CUMBUCA (charmosa, diga-se de passagem) com TAMPA?
Como disse um EX COISA meu, "uma vez cumbuca, para TODO E SEMPRE cumbuca". ¬¬
Ps.: Legal ouvir isso de um COISA, né? Esperança zero de virar uma panelinha, coisa e tal... Mas tudo bem. Nada mais me impressiona!

Pensei cá com meus botões e cheguei a conclusão que é o que falta para o nosso mundo ficar PERFEITO.
Quais os pontos positivos de ser cumbuca?

1. Liberdade ( o que engloba TANTOS sub pontos positivos)

1.2 Poder sair com AMIGOS e amigas sem encheção de saco.

1.3 Poder conhecer novas pessoas. É sempre bom aumentar o círculo de amizades.

1.4 Não ter que dar SATISFAÇÃO. Algumas panelas PEDEM para fazer algo, trocam a satisfação pelo PEDIDO.

1.5 Se você não quiser encontrar com o COISA no domingo à tarde (clichê para casais), você simplesmente não vai. Fica em casa, sai sozinha... Sem ter que ouvir: o que está acontecendo? Você mudou. No começo não era assim, você não sente mais minha falta... Bla, bla, bla. Geralmente, esse é o papel da mulher. Mas existem homens pentelhos também.

2. Você não se preocupa se está sendo traída(o), afinal, se temos COISAS, nada será classificado como traição. Mesmo que você sinta como se fosse uma BELA traição, terá argumentos para si e para os outros de que você não faz parte da categoria de panela.

Acho que já foram pontos relevantes para elevar a nossa estima e agradecermos por sermos o que somos.

A parte negativa, abastenho-me de comentar, já sabemos e vivemos!

Agora, junte: cumbuca + recheio-tampa.

Acabamos de criar uma nova categoria para recheios!
o/

Como seria?
Simples.
Teríamos pés para aquecer os nossos nas noites frias, teríamos companhia para cinema, comer sushi, assistir filminho em casa debaixo das cobertas, pagar de namoradinhos nos cantos... Mas não seríamos NUNCA, JAMAIS, SOB QUALQUER HIPÓTESE, tampa e panela.

Não seria um COMPROMISSO, digo isso no sentido de não sermos obrigados a nada.
Seria curtir por curtir MESMO.

Mas, calma.
Em nenhum momento disse que isso seria fácil de se encontrar.
Da mesma forma que é DIFÍCIL se transformar em panela e achar uma coberta legal,
será árdua a tarefa de enlaçar um recheio-tampa.

Um ponto a nosso favor: NÓS SOMOS CUMBUCAS. SÓ CUMBUCAS TEM RECHEIO.
SÓ NÓS PODEMOS TER O SONHADO E ESTIMADO RECHEIO-TAMPA!
A concorrência fica só entre nós, uma comunidade unida e que se ajuda!
ahahahaha


Bem, é isso. Acho que a fórmula é não procurar muito. Deixemos fluir que em algum momento o Deus dos Cumbucas proverá!

Ps.: O mascotinho será sorteado quando o blog alcançar o número de 1.000 leitores.
Quem quiser participar e se tornar o guardião do nosso mascote (hahaha), segue o @souumacumbuca no twitter! Estamos com 649 leitores até o dado momento!

Por hoje, é só.


Ah, se me permitem, queria falar mais uma ÚLTIMA coisinha.
Vocês viram esta reportagem?

http://tecnologia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2010/07/07/enchentes-no-nordeste-incitam-preconceito-em-comunidade-no-orkut.jhtm

Fiquei indignada. Eu sei que muitos tem preconceito com nordestinos (idiotas e ignorantes), mas daí a fazer comentários degradantes como estes, é demais.

Entrem no orkut e denunciem comunidades como esta:

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=93429506

Enfim.

Beijos e até mais!


By Cumbuca Mor

terça-feira, 6 de julho de 2010

Tampa sem dignidade





Estava com vários posts quase prontos na cabeça...
Reli várias conversas do MSN que tive com algumas amigas,
mas o papo que acabo de ter com uma amiga panela me (indignou)
inspirou.

Farei uma breve abordagem do que se trata e comentarei em seguida.

Ela é definitivamente uma panela. Sempre teve namoros duradouros,
quase todos que ficou, teve algo mais sério... Não tem "problemas" como nós, cumbucas.

O problema é MAIOR.

Ela está namorando um sujeito que não se dá um pingo de valor.
A (merda) confusão começa daí.
Inseguro, ciumento... Até aí, é normal. Muitas mulheres sabem lidar com isso,
menos eu.

No meio dessa chatice toda, ela acabou conhecendo um carinha do trabalho,
super legal, sorridente, e o melhor, ela soube que ele era a fim dela.
Passaram a voltar juntos do trabalho na moto dele.
Papo vai, papo vem, acabaram soltando que sentiam vontade de ficar.

E o namorado chato?
Pois é. Quem manda ser chato?

Acabaram ficando e como não poderia deixar de ser, foi ÓTIMO.
Ela começou a se envolver, ele também deixou claro que estava "enamorado" da moça.
Ela ficou, literamente, nas nuvens. Frio na barriga, mãos suando, aquela emoção de primeiro namorinho.

Em uma das inúmeras conversas que tive com ela, aconselhei que acabasse,
porque não podemos cair o ERRO da covarida que tantos homens cometem.
Se o namoro não está bom, se está te sufocando, se você se sente casada há
43 anos e meio, qual o sentido de continuarem juntos?
Não vejo nenhum.

Além desses motivos óbvios, ainda tinha o carinha do trabalho dando a maior sopa,
querendo ser uma tampa, coisa e tal... Coisa que nunca ocorre conosco, CUMBUCAS.
O cara sempre quer ser um recheinho e tchau.
Mas tudo bem, vamos adiante.

Namoro DADO POR ACABADO, ela curtindo o possível tampinha... O ex não a deixa em paz.
Liga, vai na casa dela, leva e pega na faculdade, leva e apanha no trabalho,
presenteia com chocolates, sushi(fazendo a menina engordar ¬¬), deixa dirigir o carro dele, em suma: tenta COMPRAR o amor dela de volta. Se é que ela o amou.

Ela fica na cruzeta. Não fica na boa com o romancinho novo e empolgante,
nem deixa de encontrar o ex CHORÃO (é, ele chorou, fez beicinho e tudo).

O que acontece a seguir?

O "novato" foi embora, cansou de ser feito de recheio e ela voltou o namoro/casamento com o pentelho (meu abuso pela pessoa dele está ficando muito evidente, né?).
E tem mais, quando ela reatou, deixou claro quatro coisinhas:

1. Não gosto mais de você da mesma forma.
2. Não estou voltando por mim, mas única e exclusivamente por VOCÊ.
3. Se eu acabar de novo, será de vez.
4. Estou encantada por outra pessoa.


O que ele fez, caros cumbucas?
ACEITOU!


A história deveria acabar aqui para que eu não ficasse mais indignada com a falta de amor próprio.

O meliante FUÇOU o computador dela, viu conversas no MSN COMIGO, com o "amante",
e com quem mais ele teve tempo.
Foi no quarto dela, disse que sabia de tudo e que iria embora.

Ele foi?
NÃO, NÃO FOI.

Fez drama, CHOROU (mais uma vez), e disse que ficaria com ela.

AH, MINHA GENTE.
O que ocorre com essas pessoas?

Você aí, já fez isso?
Não, não repita mais.

Ficar com uma pessoa que DEIXOU CLARO QUE SERIA POR PENA,
QUE DISSE NÃO GOSTAR MAIS DE VOCÊ, QUE ASSUMIU QUE FICOU COM OUTRO.
¬¬

Ah, desculpem o CAPS LOCK, mas essa foi DEMAIS pra mim.
E se você (namorado chato), por um acaso tenha visto o link do meu blog na conversa da sua namorada, leia isso também: você é patético! =)

Acho que os comentários já foram tecidos no decorrer da história, né?

Deixo para vocês, daqui por diante. E espero que minha amiga não
fique chateada! Hahaha!

Beijos, Cumbucas!

Até amanhã!
Obrigada por me acompanharem!
A turma por aqui tá crescendo!

Ps.: quem tiver twitter, segue o @souumacumbuca.
Em breve rolará sorteio por lá!

Quando os recheios se disfarçam de tampas





Olá, Cumbucas do meu Brasil!

Hoje o post é de uma leitora que não me enviou um pseudônimo,
mas nos próximos, ela terá sua identificação.

Uma história diferente das que vimos até aqui e muito interessante.

Conversamos pelo gtalk ontem e papos desse tipo inspiram a novos posts.
Caso vocês queiram se comunicar com a Cumbuca Mor, enviem e-mail
para souumacumbuca@gmail.com ou adicionem no gtalk também.
Será muito proveitoso!

Peixe vendido, vamos ao que interessa.

Segue o causo da nossa leitora.


"Acredito que muitas de nós, ou melhor, todas nós já passamos por uma experiência parecida com a que vou contar...

Mas antes, a pergunta:

Quem já acreditou ter encontrado sua tampa e descobriu que não passava de um recheio disfarçado?!?!?

Eu já, inúmeras vezes, mas passei por todas muito bem, sem arranhões...

Exceto uma vez...

Conheci o indivíduo no primeiro ano de faculdade, estudamos juntos, mas nunca tivemos muito contato, até o início deste ano (culpo o MSN pela minha péssima experiência até hoje, afinal, foi graças a ele que tudo começou...).

O fato foi impressionante para nossos amigos em comum, que nunca imaginaram, depois de quatro anos, eu namorando com o troço (nem título de coisa ele merece, seria ofensivo demais com os coisas), isso deu ares de conto-de-fadas para nossa história.

Fui pedida em namoro (acreditem... tem gente que ainda faz isso!) e apresentada à mãe (pasmem).

Passei a viver mais na casa dele do que na minha, todos os dias ele fazia café da manhã pra mim, parecia a minha metade, a tampa perfeita... Entreguei meu coração... Ouvia diariamente as frases célebres:

“Você me conquista mais a cada dia que passo contigo".

“Você é tudo o que eu procurava”.

“Eu pressinto que vou casar com você".

“Quero tanto viajar com você".

“Como pode a gente ter demorado tanto pra ficar junto"?

ERA TUDO MENTIRAAAAAA!!!!!!!

Após alguns meses a tampa se revelou um troço, trambolho...

Sem mais nem menos, sem mudar a forma de me tratar, sem dar um sinal que me fizesse pressentir o que estava por vir ele me arrancou o chão, era Dia das Mães, comprei um conjunto lindo de brinco e colar pra mãe dele, mandei o presente, pois passei o dia com a minha mãe...

À noite ele me liga dizendo que quer conversar...

A BOMBAAAAAAAA!!!!!

O diálogo foi o seguinte:

Troço diz: – Eu tentei gostar de você, mas não estou preparado, eu testei..., mas gosto da minha ex ainda, não posso usar você pra esquecê-la... Bla bla bla bla bla bla bla (desculpem-me, não lembro o resto, estava em estado de choque...)

A idiota aqui responde: – ....

Não havia o que dizer naquele momento... Concordamos em sermos amigos, e ele pediu pra que, por favor, eu não falasse mal dele... Concordei com tudo... (o que o estado de choque não faz com a gente...).

Eu já me formei, ele não, perdeu um ano de faculdade e, pra completar a M#@#, minha pós graduação é na faculdade onde estudamos juntos, no prédio onde ele estuda, no mesmo andar da sala dele... %$#@%

Dei de cara com o meliante no dia seguinte, mas fingi não ter visto...

Na terça seguinte ele me procura no MSN (eis uma ferramenta perigosa, cumbucas... Tomem cuidado), perguntando como eu estava, dizendo que gostava muito de mim, que queria ser meu amigo...

AHHHH, DESCASQUEI TUDOOOOOOOO!!!!

Disse que ele não tinha o direito de falar comigo, que se ele só queria me levar pra cama não deveria ter feito esse joguinho, que eu poderia ter ido por livre e espontânea vontade, que eu não estava em uma estante para ser testada... E mais um monte de coisas...

Cumbucas, não tenham medo de falar o que pensam... Foi um alívio para mim...

Balanço da história:

Mudei a turma de amigos, não dava pra continuar saindo com ele...

Estou saindo com pessoas ótimas...

A irmã dele é uma grande amiga minha...

A mãe dele disse que não quer mais conhecer ninguém, porque ela sofreu com minha partida, e não quer passar por isso outra vez (a sogrinha me amava...)

Ele está só, a ex não quer saber dele...

Eu estou com um ótimo recheio e, como acredito que a condição de cumbuca pode ser temporária, adoraria que ele passasse a ser tampa em breve, com cautela, (pasmem outra vez) ele passou pelo mesmo que eu: também foi deixado por causa de um ex, e ela também está só.

Como estou traumatizada estou sendo cautelosa... evitando títulos, cobranças, vivendo só a parte boa.

O mais engraçado, o ex da ex do meu recheio dá em cima de mim... adivinhei por onde? MSN!
Deu pra entender o que quis dizer?!?!? O MSN é um perigo constante.

Bom, acreditem, agradeço ter passado por isso, aprendi algumas coisas, e pude compartilhar com vocês minha experiência.

Beijo, beijo, beijo."


By Leitora sem Pseudônimo.

domingo, 4 de julho de 2010

Abuso no dia seguinte





Como aconteceu uma SÉRIE de coisas inspiradoras durante este final
de semana, vou guardar para postar aos poucos.
Se bem que seria legal mostrar pra vocês o azar de três dias
inteiros, seria cômico/trágico.

Mas vou guardar, será útil.

Vamos ao primeiro fato.

Após ter lido e absorvido o post passado, enviado pela Cumbuca Gold,
consegui enxergar novamente o lado positivo de ser o que sou.
Sempre acabo enxergando, mas estava em uma fase um pouco PESSIMISTA.

Pois bem, não só absorvi como me tornei uma Cumbuca (temporariamente)
desacreditada. Mas nem por isso deixo de conhecer uns recheinhos.
A diferença é a forma que se lida com eles.

Vou direto ao que interessa.

Saí na sexta-feira com umas amigas (uma delas comenta no blog como O Quarteto Fantástico), aquelas mesmas que não deixam a pessoa SEQUER ficar "sufrida"
por um minuto.
Fomos lamentar a saída da nossa querida seleção da Copa (vergonha alheia, mas tudo bem, passou) e acabei conhecendo uns amigos de amigos delas.

Ainda no bar, fazendo o "esquenta" pra ir para um lugar dançante (hahaha),
uma das componentes do Quarteto me disse: quem sabe tu não encontra um recheio
legal hoje? Pode ser o teu dia!
Risadas na mesa, sou motivo de chacotas!

Eu respondi que nem estava a fim... Que saí pra me divertir, rir... Sem aperreios
com esse tipo de coisa.

Chegamos ao local dançante... Passinhos pra lá, pra cá... Acabei CEDENDO e ficando
com um amigo do amigo da minha amiga. ¬¬
Aí que vem a parte interessante.
O recheio fazendo mil elogios, aquela conversinha toda que todos conhecemos.
Eu parei a fala "ensaiada" no meio, e disse: amigo, numa boa. Pode poupar suas cantadas.
A gente já ficou, não tem necessidade disso, e adianto que não acredito em nada que você está me dizendo.
Issotudo com um sorriso no rosto, sem drama.

Ele ficou um pouco assustado, e disse: não estou mentindo... Será que vou ter isso novamente?

Eu: olhe, sinceramente? Melhor que você pense no hoje... De amanhã, Deus sabe.
Dei uma enrolada e dancei novamente pra encerrar o papo.

Não parou por aí.
Pegou meu telefone, continou com as "conversinhas" e disse que me ligava no DIA SEGUINTE.
Paguei pra ver.

Dia seguinte, sábado, 8 horas da noite, me programando pra sair com o Quarteto, toca o celular.
Não atendi.

Hoje, domingo, me senti meio "homem" em não atender NO DIA SEGUINTE, e liguei.
Quis saber como eu estava, como tinha sido meu dia, quando a gente poderia se ver... Essas coisas de sempre.

Comentários sobre o ocorrido:

Engraçado como as coisas mudam. Quando você está a fim, isso é praticamente
um sonho. Você fala para as amigas, se empolga, fica esperando cada passo do novo "romance".

Mas quando contrário, acontece isso. Sinceridade desnecessária a flor da pele,
frieza e age-se como um homem (como a maioria).
Você sai, conhece e, algumas vezes, acaba ficando...
E SÓ!
Sem dia seguinte, sem ligações, sem maiores contatos ou zero contato, se possível.

Então, esse é um dos efeitos que abusos de COISAS causam em mim.
Infelizmente ou felizmente eu fico temporariamente "vacinada",
porque uma hora o efeito da mesma passa, a gente acredita, cai no conto do vigário e volta a pensar que em algum momento, pode dar certo.
Hahaha!

Isso é quase um CICLO VITAL. =)


Por hoje é só, cumbucas e cumbucos.


Boa semana para nós e hasta la vista.


Cumbuca Mor.

sábado, 3 de julho de 2010

Post do Leitor: Orgulho de não ter uma tampa






Segue mais um Post do Leitor para vocês.
Dessa vez foi a Cumbuca Gold que resolveu compartilhar
seus pensamentos conosco.

Como prometido, uma visão otimista da cumbucância.
Já que o texto passado foi pessimista/cômico,
segue agora um mais animador para balancear!
Hehehe



"Olá amigas [e amigos] cumbucas, eu sou Cumbuca Gold e gostaria de
compartilhar uma opinião particular.

Gatas, muito mais do que ouvir histórias de amigo recheio, homens que
traem... Nós, cumbucas, devemos parar de nos colocar como vítimas e
expor o orgulho de não termos uma tampa.

Tive um relacionamento de mais de dois anos e há quatro meses resolvi
acabar e, não foi por traição de uma das partes [acreditem], mas sim o
desgaste que a maioria dos casais enfrentam em um momento da relação.

Hoje me sinto satisfeita e feliz pela decisão que tive. Esta decisão
me fez refletir que tipo de relação quero para mim. Nem eu sei.
Só sei que me considero "completa" e, definitivamente não preciso de
tampa
. Relacionamentos, no meu ponto de vista, deverão ser um
suplemento. Lembra do suplemento alimentar que tomamos?? A comparação
será com ele, conseguimos sobreviver sem eles, mas com o uso freqüente dá mais
ânimo, disposição, entusiasmo e sensações maravilhosas. É isso.


Um brinde a nós, cumbucas, que somos belas, felizes, divas e maravilhosas!!

Beijoss,

Cumbuca Gold".