sábado, 26 de junho de 2010

Casamento x Vida real





Dia 23 de junho, véspera de feriado, fiz um esforço extra comunal para sair de casa.
Sabe-se que aqui no Nordeste o São João “pega fogo” (literalmente, porque é fogueira pra tudo que é lado e me perdoem os que gostam dessa tradição junina, mas é um INFERNO sair de casa toda cheirosinha, roupinha e cabelos limpos para chegar na esquina de casa e estar com AROMA CHURRASCO), e eu não estou nem um pouco em clima festivo.

Mas como uma cumbuca que não queria ficar “deprê” enquanto todos estavam por aí a arrastar os pés e a “ralar o bucho”, saí com um quarteto de meninas que não permite SEQUER que a pessoa pareça estar triste. O que, cá pra nós, chega a ser irritante. Comentei com elas que NINGUÉM consegue estar sempre feliz, sem UM DIAZINHO de mau-humor e sem vontade de ter pensamentos positivos. ¬¬

Enfim, o assunto não é esse. Foi só para introduzir o tema do post de hoje e dizer de onde veio a inspiração para o mesmo. É sempre bom conhecer novas pessoas, novas histórias e a quarta integrante do quarteto com o qual saí ontem, eu ainda não a conhecia.
Ela entrou no carro quando falávamos de um EX COISA e como eu tinha “sorte” com essas coisas, tudo isso num clima descontraído e cômico/trágico. Minha apresentação foi a seguinte: Oi, sou Joana, tenho azar no amor e sou uma cumbuca. Tenho até um blog que fala disso. E você? Nome? É uma pessoa com ou sem problemas nesse aspecto?
Risada geral.

Mas, como toda mulher cumbuca, mesmo que ela não se considere uma, ela também teve uma história interessante pra contar e claro que compartilharei com vocês como uma maneira de confirmar o post anterior, que fala DO QUE REALMENTE GOSTAMOS EM UM HOMEM. Ela deve ler isso aqui, mas nem pseudônimos utilizarei.

Ela começou:
“Ah, sou tranquila. Não tenho problema com nada disso.

As amigas dela:

“Cadê fulano? Apareceu?

Pensei: “Opa, tem algum fulano aí que sumiu e pode ter ressurgido, ou não. Caso bastante conhecido pelas CUMBUCAS”.

Ela:

“Estava no telefone com ele agorinha. Disse que vai CASAR EM BREVE, mas que me ama”.

Eu pensei:

“Gravador mental ligado. Essa vai pro souumacumbuca”.

Ela continuou:
“Ele queria que eu saísse com ele hoje. Mandei ele chamar a mulher pra dançar forró”.

Acho que a parte do diálogo pode parar por aqui. Já deu pra entender do que se trata, né?

O típico cidadão que vai casar, sem nem saber o motivo, mas ama uma adolescente animada, que sai, dança, brinca, faz rir e, pasmem: parece mesmo estar pouco importada com essa situação (dele se casar).

Como não a conheço, tenho que acreditar no que vi e ouvi durante o resto da noite.

Saímos para três lugares e quando estávamos no segundo, o mocinho chega em busca dela. Dançou, bebeu, riu, ganhou até um concurso de FORRÓ e ganhou um KIT com alguma coisa desinteressante dentro. Quem viu de fora, pensou: o casal perfeito. Animado, QUENTE e feliz.
Imagem dele: calça e camisa um pouco coladas, CAVANHAQUE (possível sinal de que é canalha MOR), cara de sedutor, poucos sorrisos e olhar penetrante.

Enfim. Raio X da situação que cada vez MAIS vejo acontecer: a noivinha estava em casa depois de ter dançado um forrozinho ameno com o noivo apaixonado, ter comido todas as guloseimas juninas, feito a média com a família e ter ido dormir. Ele pega seu POSSANTE e sai em disparada atrás da “garotinha quente” que ele diz AMAR.

É quando penso: talvez seja melhor ser cumbuca. Claro que não devemos desacreditar de uma história legal, sem hipocrisia, que é mais importante do que a fidelidade. Mas essa falsidade, essa máscara que a maioria dos homens usa e que consegue viver TRANQUILAMENTE, eu disse TRANQUILAMENTE pelo resto de suas vidas com ela. Mantem suas mulheres perfeitas e intactas em casa e saem pra viver a vida que eles realmente gostariam de ter (a vida real, no caso). Aliás, eles tem.
É meio confuso tudo isso, mas a quantidade de gente que tem essa vida dupla me deixa preocupada.

No mais, é isso. Vim mais para compartilhar esse pensamento com vocês e, no próximo post, deverei colocar algo sobre minhas histórias cumbucais. Até porque vocês tem que saber o motivo de eu me denominar CUMBUCA MOR, né? Hehe!

Até mais,

Cumbuca Mor.


Ps.: Vamos continuar ajudando as vítimas das chuvas em PE e Alagoas. Entreguem as doações nos pontos de coleta que estão sendo divulgados em todos os cantos. Não temos desculpas para não ajudar. As imagens de pessoas brigando por comidas estragadas na lama são comoventes. Vamos unir todos CUMBUCAS nessa campanha.

10 comentários:

  1. Definitivamente, gosto de como você escreve. xD~
    Tenho muitas amigas cumbucas. Vou passar pra elas pra vocês dividirem essas histórias.

    P.S. Que cabra safado!

    ResponderExcluir
  2. QuartetoFantastico.26 de junho de 2010 19:59

    Apesar de presenciar essa historia..Faço questao de ressaltar a importancia "MENINAS QUE NAO PERMITEM SEQUER QUE A PESSOA PAREÇA TRISTE" kkkkkkk No Fundo Cumbucas tambem...que nao so procuram suas panelas e afins,como tambem se divertem furando,quebrando ou seja la o que for a panela dos outros hehehehehe!!

    No aguardo de Mais Cumbuquices!!!

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Pois é, Quarteto.

    Creio que agora faço parte desse
    "grupo", de uma forma ou de outra!
    hahahaha

    Obrigada pela sua contribuição
    e aguarde mais cumbuquices!
    =)

    ResponderExcluir
  4. Apesar do texto super bem-humorado e alto astral, sem espaço "nem pra parecer um texto triste" (risos!), ainda assim me bate uma tristeza (e, como não sou do "quarteto", eu posso, tá?! kkkk!!!): é muito triste ver esse "homem" (tão "menino"...) vivendo uma vida "dupla", pela metade, quando poderia estar vivendo uma vida "quente" por inteiro... e triste ver a "menina-cumbuca" usufruindo desse "recheio" que é tão apetitoso no momento... mas que depois deve dar uma indigestão desgraçada na consciência.
    Beijo!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Nossa, é incrivel como os homens tem o poder de enrrolar as mulheres, ou sera que somos nós que nos deixamos enrrolar?

    ResponderExcluir
  7. É quando penso: talvez seja melhor ser cumbuca. Claro que não devemos desacreditar de uma história legal, sem hipocrisia, que é mais importante do que a fidelidade. Mas essa falsidade, essa máscara que a maioria dos homens usa e que consegue viver TRANQUILAMENTE, eu disse TRANQUILAMENTE pelo resto de suas vidas com ela. Mantem suas mulheres perfeitas e intactas em casa e saem pra viver a vida que eles realmente gostariam de ter (a vida real, no caso). Aliás, eles tem.
    É meio confuso tudo isso, mas a quantidade de gente que tem essa vida dupla me deixa preocupada.


    TENHO MEDO DESSAS MULHERES INTELIGENTES... ESSE BLOG AINDA VAI VIRAR UMA AMEAÇA! HAHA
    BJOS

    ResponderExcluir
  8. Por isso tantas mulheres inteligentes são CUMBUCAS.

    A maioria de vocês (homens) correm delas!

    Mas antes algo na cabeça e cumbuca
    do que uma panela com tampa furada.
    =)

    Viva as Cumbucas inteligentes!
    hahaha

    ResponderExcluir
  9. Pois é, Natalie.

    Ele é só a representação de TANTOS que vivem assim.

    Vale ressaltar que muitas mulheres também
    fazem isso, que a hipocrisia é geral,
    não tem sexo certo.

    Mas é uma escolha que cada um faz pra si...
    Se preferem viver atrás de uma imagem,
    cabe à nós, que estamos do outro lado,
    analisarmos pra não sermos enroladas(os).

    =)

    Obrigada pela participação por aqui!

    Bj,

    Cumbuca Mor.

    ResponderExcluir

Comente aqui ou envie a sua história para souumacumbuca@gmail.com. Ela será avaliada e postada com pseudônimos. Os textos estão sujeitos a correções de ortografia e de gramática.